Menu              Leia Também...
 
Pesquisas
Princípios norteadores para construção de um modelo de agricultura irrigada familiar sustentável, para região da Zona da Mata de Pernambuco, focado na agroecologia

Orientadores:

Prof. Rosires Catão Curi e Prof. Abraham Bezaquen Sicsú

 

Resumo:

 

A Zona da Mata de Pernambuco tem mais de 10.000 famílias de assentados e tem um IDH que varia entre 0,296 a 0,479, muito aquém do Estado de Pernambuco (0,626) e Recife (0797).  Além do elevado grau de pobreza, esta região vem sofrendo um processo de degradação ambiental (perda da biodiversidade da Mata Atlântica, erosão, esgotamento dos solos, tratamento inadequado aos recursos hídricos, etc.). A produtividade, nesta região, está em decadência e os assentados adotam o modelo da Revolução Verde (processo de agricultura degradante e insustentável). 

O projeto proposto visa identificar, através de questionários e entrevistas (usando metodologia FAO-INCRA) e num processo de sistematização (uso de indicadores) e estratificação/relacionamento (modelo situação-pressão-resposta) da informação, os principais problemas relacionados a agricultura familiar nesta região (a prática agrícola com os impactos sócio-econômicos e ambientais). Aspectos relacionados a cidadania, saneamento, escolaridade, cultura, saúde, tecnologia, gestão da água, produtividade, organização sócio-econômica, requerimentos de mercado, disponibilidade de crédito, uso de insumos, etc., serão avaliados, na fase de diagnóstico do sistema.   Simultaneamente, buscar-se-á alguns exemplos de agricultura familiar que deram certos (Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul) para serem usados num processo comparativo do que deveria ser uma metodologia voltada ao desenvolvimento sustentável a fim de estabelecer os “Princípios norteadores para construção de um modelo de agricultura irrigada familiar sustentável, para região da zona da mata de Pernambuco, focado na agroecologia”.

A Reforma Agrária no Brasil não deve se ater somente a distribuição de terra e a facilidade de financiamento (que, geralmente, são mal usados e levam os agricultores a ficarem endividados e sem condições de cultivar a terra) pelo governo federal.  A experiência tem constantemente mostrado que, se não haver elementos que provêm uma análise e apoio técnico a cada assentamento, estes estão fadados a não atender os seus propósitos, ou seja, ampliar a agricultura familiar, reduzir a desigualdade social, torná-los produtivos (reduzir sua dependência a ajuda governamental e, conseqüentemente, a sociedade produtiva, enquanto passa a contribuir, igualmente, para o desenvolvimento do país) e fixar, de forma sustentável, o homem no campo.    Portanto, o tema proposto tem forte apelo sócio-econômico e ambiental (multidisciplinar), além de ser aplicado a grande maioria dos assentamentos existentes, é atual e extremamente importante.  Além disso, cada região em estudo tem suas peculiaridades, o que confere caráter inovador ao projeto proposto.






GOTA - Grupo de Otimização Total da Água
Prof. Wilson Curi