Menu              Leia Também...
 
Pesquisas
Operação de 5 reservatórios, para múltiplos usos e objetivos, na bacia do rio Capibaribe-PE

MEMBROS:

Dr. Wilson Fadlo Curi

Dra. Rosires Catão Curi

Dr. Paulo Romero Guimarães Serrano de Andrade

Dayse Luna Barbosa

Valterlin da Silva Santos

 

RESUMO:

 

Os reservatórios Jucazinho, Carpina, Tapacurá, Goitá e Várzea do Uma com capacidades de armazenamento de 270 hm3 , 327 hm3, 94,2 hm3, 35,38 hm3 e 11,57 hm3 respectivamente, são partes integrantes da região mediana da Bacia do Rio Capibaribe. Os reservatórios Jucazinho e Carpina estão ligados em série que, por sua vez, está ligado em paralelo com os demais reservatórios.  Eles estão localizados na zona agreste do Estado de Pernambuco, entre as latitudes 7o 43’e 8o 19’sul e longitude 35o 19’ e 36o 42’ a oeste de Greenwich, onde a evaporação (em média de 2.200 mm/ano) supera em muito a precipitação (abaixo de 1.000 mm/ano), mas que tem um potencial agrícola da ordem de 970 Km2 e de pastagem de 2.885 Km2.   O reservatório Carpina, projetado para ter acumulação nula, foi construído com a finalidade de evitar possíveis enchentes na Região Metropolitana do Recife-RMR.  No entanto, a Companhia Pernambucana de Saneamento - COMPESA, vem operando a barragem com uma acumulação média de 56,6x106m3.  Isto permite derivar uma vazão de regularização a jusante de Carpina para posterior captação de Tiúma e Castelo, estações de tratamento de água da Região Metropolitana de Recife (RMR), que derivam uma vazão de 1,3m3/s que são injetadas no sistema adutor de Tapacurá, responsável por 42% do abastecimento da RMR.  O reservatório de Jucazinho foi recém construído (Fevereiro de 1998) com a finalidade de abastecer a cidade de Caruaru e outras 19 cidades do agreste pernambucano, beneficiando uma população estimada, em 1997, em 383.915 habitantes.  Além disso, ela tem por finalidade controlar a vazão a jusante para evitar cheias nas cidades de Limoeiro e Salgadinho, prover irrigação para cerca de 6750 ha e produzir 500 toneladas de pescado por ano.  O reservatório Tapacurá tem a finalidade de abastecimento dos municípios de Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Recife e São Lourenço da Mata e controle de cheias. O reservatório Goitá foi construído com o objetivo de contenção de cheias, sendo atualmente utilizado para o abastecimento dos municípios supra-citados.  Já o açude de Várzea do Una tem a finalidade de abastecimento.

                Dado em parte ao fenômeno climático El Niño, que fez , no ano de 1998, reduzir as chuvas da área em estudo em cerca de 57% com relação ao ano de 1997, os principais mananciais de superfície, que já atendiam deficientemente o abastecimento da RMR e da referida região do agreste pernambucano, entraram em situação crítica, sendo que muitos destes entraram em colapso.  Como conseqüência observou-se na RMR o maior regime de racionamento  de água vivido até hoje pela população, enquanto que no interior se instalou a sede e a fome, que além de causar grande sofrimento a população, dizimou a grande maioria dos rebanhos e aumentou as doenças de veiculação hídrica (como as notícias de cólera, micro bactérias na água dos aparelhos de hemodiálise, etc.) .

                Portanto, pretende-se, neste trabalho, estabelecer modelos de simulação e otimização deste sistema de reservatórios que possibilite analisar alternativas, mediante as operações conjuntas destes dois reservatórios, de incrementar as vazões do rio Capibaribe para melhorar o abastecimento da RMR, assim como atender as demandas urbanas de outras cidades, agrícolas, industriais, de qualidade de água, etc.. Este modelo deve, também, levar em consideração as limitações físicas hidráulicas (contenção de cheias e limitações físicas dos dispositivos), econômicas (agricultura irrigada, piscicultura, etc.), operacionais, ambientais, legais, etc., que envolve a área de estudo.

 

 







GOTA - Grupo de Otimização Total da Água
Prof. Wilson Curi